segunda-feira, 6 de julho de 2009

Fiat reinicia testes do Bravo nacional



Diferentemente do que foi dito ultimamente por algumas publicações especializadas a Fiat não está com receio nenhum em lançar o hatch médio Bravo no Brasil. O que aconteceu foi uma pequena mudança de planos por conta dos novos Palio (326) e Uno (327), o fabricante resolveu intensificar o desenvolvimento destes dois projetos. Por conta disto o desenvolvimento do Bravo seguia em ritmo mais lento, porém, no começo deste mês, o projeto começou a ser tocado com mais intensidade. Prova disso é que na semana passada foram montados os primeiros Bravos legitimamente nacionais para os testes de durabilidade, já que até mesmo a carroceria do hatch já é fabricada em Betim. O modelo flagrado hoje, provavelmente já é um protótipo dessa fornada. Os outros protótipos em testes desde o começo de 2008 eram unidade montadas em Betim, porém, com carrocerias e peças vindas da Itália. A motorização do modelo ainda é incerta, mas especula-se que o hatch seja o primeiro modelo da Fiat a receber os propulsores produzidos pela Tritec. O Bravo será lançado no segundo semestre de 2010, provavelmente como modelo 2011.




Fotos Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

20 comentários:

  1. Nsssss!!!
    KD vez mais a fiat adia o lançamento do Bravo

    ResponderExcluir
  2. Por mim a Fiat vai perder o momento, assim como fez com o Sienão (Linea). Esse carro teria de ser pro fim desse ano, começo do ano que vem no máximo. O carro fica tanto em banho-maria que já cansa antes mesmo de ser lançado... perde o lance da novidade, da mística em volta do lançamento. Enfim, a Fiat faz do jeito que quer... é somente minha opinião.

    ResponderExcluir
  3. Eduardo T. Küll6 de julho de 2009 17:42

    Concordo que a Fiat está mesmo perdendo o momento para o lançamento do carro. Lembro que em edições passadas da 4 Rodas já haviam aparecido notas, com fotos, de Bravos em teste apresentados como já sendo "nascidos no Brasil".
    Talvez o Stilo ainda dê lucro, afinal, pela idade do carro e por condições do passado, bem como pela falta de novidades, o carro já deve estar devidamente amortizado, sendo como o Golf atualmente em produção: fora os custos de material e mão-de-obra, o carro é lucro puro. Mesmo assim, é bom lembrar que a concorrência está se mexendo, infelizmente se mexendo na Argentina, com o Focus novo ou o C4, ou na Coréia, mas se mexendo. Se estes carros ainda não vendem o que vendem os (velhinhos) nacionais é outra conversa, mas com certeza estão oferecendo bem mais ao consumidor por praticamente o mesmo preço de um Stilo, por exemplo.
    Quanto mais a Fiat demorar, mais cansado vai estar o modelo ao chegar ao mercado, fora o Fiat pode chegar ao mercado brasileiro praticamente junto à primeira reestilização do gêmeo europeu.
    Se o problema é custo, é bom lembrar que fora o dólar comportado, a diferença entre euro e dólar baixou, praticamente devolvendo as condições de mercado de antes da crise.

    ResponderExcluir
  4. Marlos de parabéns!
    Sobre a Fiat, muitos a injustiçam, como vemos com o Linea, mas a marca é a que ainda mais apresenta novidades no mercado nacional, com o diferencial dos seus produtos serem NACIONAIS e trazerem benefícios para o NOSSO PAÍS.
    Ótima sacada a Fiat em trazer o Bravo, pois é belíssimo e está anos luz a frente dos medios nacionais e até importados.

    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Discordo daqueles q acham q a Fiat esta perdendo uma oportunidade em lançar este carro logo pelos seguintes motivos:
    1-as supostas datas de lançamento sao mais especulacao, suposicao do q ao realmente dito pela propria marca;
    2-nacionalizar um produto nao eh algo feito a toque de caixa, principalmente aqui, onde qualidade dos materias, variedade de clima, preço do segmento, custo de producao, qualidade do pavimento e combustivel precisam ser bem analisados. Na Europa levou pouco mais de 2 anos para lança-lo, pois la nao tem tanta adversidade como aqui;
    3- este produto, como o texto diz, podera usar os novos motores da Tritec abandonado os da GM, fora q o T-Jet, q eh de alto rendimento e podera equipar uma versao top, pode esta sofrendo um processo de flexibilizacao, necessidade do mercado, e poderia ser algo inovador a ser explorado pela Fiat;
    4- lançar um produto mal testado, neste segmento, eh pedir para sujar a imagem da empresa, algo q ela esta tentando recuperar devido aos problemas na linha Marea sem falar q ela pode analisar melhor o comportamento de carros realmente bons como os C4 e Focus.

    ResponderExcluir
  6. Daniel Ramos de Oliveira6 de julho de 2009 19:51

    Meu esse lançamento é toda vida adiado em?Tomara que ele seja já lançado no começo do próximo ano.Mas acredito que o Bravo virá muito bem equipado,pra brigar com o Ford Focus Hatch,Cintroën C4 Hatch e Hyundai I30 ele terá de oferecer ótimos equipamentos.Os motores eu acredito que serão os:1.9 Flex e quem sabe os novos 1.6 Tritec Flex e quem sabe não apareça um 2.0 Tritec Flex,com potência lá pro os 151cv em?

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. O que acho que virá e mexe e é sempre adiado são os cambios Dualogic na família Palio... isso já virou novela... Espero que agora em breve venham...

    ResponderExcluir
  9. Esse carro é lindo!
    Falam que esse Tritec 1.6 tem 120cv. Sendo assim bem que a Fiat poderia fazer um Tritec 1.9 ou 2.0 que geraria em torno de uns 160cv, trazendo o T-Jet de 180cv, mas sei que estou sonhado alto demais.

    Marlos, sendo o Tritec 16V, ele tem valvulas variáveis?
    A Fiat está planejando desenvolvendo um cambio automático de verdade para linha Bravo?

    ResponderExcluir
  10. Daniel Ramos de Oliveira,

    na verdade o Bravo la fora eh muito bem equipado vide lista abaixo de itens coletados do site de Portugal na versao top a diesel chamada Bravo 2.0 Multijet Sport R 165cv. A questao eh quanto custara e se tera tudo isto aqui ja q nacionaliza-lo nao quer dizer q ficar barato.

    Exterior
    PINTURA IRIDISCENTE 400,00
    PINTURA METALIZADA 330,00
    ESPELHOS RETROVISORES EXTERNOS ELÉCTRICOS
    C/ DESEMBACIAMENTO de série
    VIDROS ESCUROS de série
    Conforto e Funcionalidade
    ALARME 330,00
    BANCO DO PASSAGEIRO REGULÁVEL EM ALTURA 50,00
    ESTOFOS EM PELE 1.200,00
    RETROVISORES EXTERIORES COM COMANDO ELÉCTRICOS 120,00
    TECTO ABRIR ELÉCTRICO 1.250,00
    TOMADA DE CORRENTE POSTERIOR 100,00
    AR CONDICIONADO AUTOMÁTICO de série
    BANCO DO CONDUTOR REGULÁVEL EM ALTURA de série
    CRUISE CONTROL de série
    DIRECÇÃO ASSISTIDA de série
    ENCOSTO DE BRAÇOS ANTERIOR de série
    FECHO CENTRAL PORTAS C/COMANDO de série
    KIT FUMADOR de série
    REGULAÇÃO LOMBAR NO BANCO PASSAGEIRO de série
    TERCEIRO APOIO DE CABEÇA POSTERIOR de série
    VIDROS ELECTRICOS POSTERIORES de série
    VOLANTE EM PELE DESPORTIVO de série

    Segurança
    SENSOR DE ESTACIONAMENTO 400,00
    SENSOR DE PRESSÃO DE PNEUS 360,00
    ABS de série
    AIRBAGS LATERAIS de série
    AIRBAGS LATERAIS COM PROTECÇÃO CABEÇA de série
    ESP (ELECTRONIC STABILITY PROGRAM) de série
    FAROIS DE NEVOEIRO de série
    FARÓIS DE XÉNON de série
    FIXAÇÕES ISOFIX de série

    Audio e Telemática
    SISTEMA HI-FI (AMPLIFICADOR + SUBWOOFER) 400,00
    AUTO-RÁDIO COM LEITOR DE CD de série
    BLUE & ME de série
    PERSONALIZAÇÃO EM PORTUGUÊS de série

    Vários
    AIRBAG DE JOELHOS PARA CONDUTOR 150,00
    BLUE&ME NAV 500,00
    INSTANT NAV (+BLUE&ME) 749,00
    MAPA DA EUROPA PARA INSTANT NAV 250,00
    MAPA DE PORTUGAL E ESPANHA PARA INSTANT NAV 101,00
    MAPA DE PORTUGAL PARA BLUE&ME NAV 0,00
    PINTURA PASTEL EXTRA-SÉRIE 500,00
    SENSOR DE CHUVA E LUMINOSIDADE 160,00
    SENSOR DE ESTACIONAMENTO POSTERIOR 300,00
    BOLSA ENCOSTO BANCO PASSAGEIRO de série
    COMANDOS NO VOLANTE de série
    EURO 5 de série
    GAVETA PORTA-OBJECTOS POR BAIXO BANCO PASSAGEIRO de série
    INFORMAÇÕES AIRBAG PASSAGEIRO EM PORTUGUÊS de série
    KIT CROMO de série
    LIVRO INSTRUÇÕES PORTUGUÊS de série
    SPOILER E MINI-SAIAS de série

    Linha e Estilo
    RODA SOBRESSELENTE DE EMERGÊNCIA

    ResponderExcluir
  11. Ao Vilker, quanto a sua pergunta segue uma resposta abaixo sobre a caixa de marchas da Fiat publicada no site World Car Fans:

    Fiat effectively joined an elite group of companies today with the announcement of a dual-clutch system to be launched in 2009. The gearbox, named C635, will feature in several models, including the Grande Punto, Bravo and Alfa Romeo models.

    Versions of the C635 will include a 6-speed manual, dual clutch and an automated manual transmission, a form of (prayfully better) Selespeed for Alfa. The manual will be on offer by June 2009, while the AMT should be on sale in 2010.

    by Thami Masemola
    January 30, 2008 1:12 AM

    ResponderExcluir
  12. É Raimundo,
    tomara que isso se concretize. Um câmbio de 6 marchas e de dupla embreagem nã é nada mal, mas ele estaria em desenvolvimento aqui? Acho muito difícil, pois deve ser caro sua produção.

    ResponderExcluir
  13. que demora pra esse Bravo chegar. vai ficar no mesmo esquema do Linea. ser lançado bem depois que os veículos da mesma categoria terem chegado aqui. mas, vamos esperar né. mais um ano, ou dois..

    ResponderExcluir
  14. Ao Vilker,

    se esta em desenvolvimento aqui ou nao dou a missao ao Marlos para descobrir.

    Eu penso o seguinte: se tal componente ja esta pronto e concordo com vc q deve ser feito la fora, poderia chegar aqui como importado como eh o motor T-Jet. Este Bravo nacional poderia ser uma especie de laboratorio pra nao so para o europeu quanto tambem pra ver o comportamento com mistura de combustivel caso a Fiat torne flex o T-Jet. Contudo, por ser algo discreto, na Europa nao precisa de um carro disfarçado para testa-lo.

    Falar em cambio, o site Webmotors flagrou um Polo com placa de fabricante sem difarce, pra comprovar uma das minha hipoteses, usando o cambio Dualogic da Fiat, o mesmo feito pela Magnetti. A versao se chamara E-Motion. Pra quem criticar o cambio na Fiat, quero ver dizer q sera melhor na VW.

    ResponderExcluir
  15. PARABÊNS;
    MARLOS. SE SUPERANDO CADA DIA MAIS! CM DEUS AÍ!

    ResponderExcluir
  16. Eduardo T. Küll7 de julho de 2009 10:45

    Marlos,

    De novo, parabéns por mais este flagra. Competência que a gente vê, literalmente.
    Sobre o carro, enquanto o mesmo já é vendido no Chile, Colômbia e México importado da Itália, aqui, que segundo a própria Fiat é o segundo mercado mais importante da empresa, depois da terra da matriz e ainda por cima podendo desbancá-la, a gente tem que esperar. Com isso, o carro já chega cansado ao mercado, quando não, pode ocorrer o mesmo que aconteceu com o Mégane, que mal chegou aqui, recebeu o primeiro facelift na Europa.

    ResponderExcluir
  17. òtimo blog, com ótimas matérias!!

    Abraço!

    Rossi (do blog Alto Giro)

    alto-giro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Esse carro já está enchendo antes mesmo de ser lançado... Quanto eu ví a foto desse carro a 1a vez, e sabendo que a Fiat iria traze-lo ao BR, fiquei louco. Pensei "será meu próximo carro". Mas isso foi a 2 anos!!!!!! O carro não é lançado e de tanto falar nele e ver fotos rodando por todos os lados, o visual já não é novidade, o carro já não tem mais o brilho anterior. Agora como disse o camarada aí em cima que a Fiat está demorando pq tem que fazer estudos de componentes, de mateiral, de clima... Puáááá... de quanto tempo a Fiat precisa pra fazer isso?? 5 anos??? Em cinco anos vc projeta um carro novo do zero cara!!!! A Fiat tá sim é colocando o carro em banho-maria adiando o lançamento pq estão se fartando de vender carro. E depois dizem que a Fiat respeita os consumidores KKKKKKKKKKKK
    Bem capaz mesmo de sair quando fizerem o face-lift na europa. Tem coisas que só a Fiat faz por vc!!!!

    ResponderExcluir
  19. A Fiat não pode cometer o mesmo erro que cometeu com o Marea. O Marea é um carro EXCELENTE, porém sofreu muito com a má tropicalização. O motor 5 cilindros não se deu bem com a combinação combustível podre e manual que indicava troca de óleo a cada 20.000 km. A Fiat não encontrou fornecedores nacionais para todas as peças de motor e o resultado é sentido até hoje com o preço das peças importadas fazendo cair o queixo. As peças paralelas são um lixo.
    A Fiat, querendo lançar o carro rápido, não levou a tropicalização a sério e começaram os problemas de motor. Resultado: Matou um produto ótimo.
    Já não cometeu o mesmo erro com o Línea, já que o motor é o mesmo que já vinha sendo utilizado em outros carros e já tinha fornecedores desenvolvidos...

    Não pode errar com mais um lançamento. Por isso a coisa demora...

    ResponderExcluir