quarta-feira, 10 de junho de 2009

Segredos da Renault para o Mercosul


Como já antecipado pelo Autos Segredos em matérias anteriores a Renault prepara nova ofensiva para o Mercosul, que será anunciada até o fim do ano. Entre as novidades serão anunciados o jipinho ainda sem nome definido conhecido somente pelo condinome H79. A nova geração do Mégane hatch e sedan, além da picape derivada da família Logan/Sandero, porém, com a identidade visual do Sandero, informação também já antecipada aqui.

A nova geração do Mégane será fabricada na Argentina até o final de 2010 nas carrocerias hatch e sedã. Os modelos devem começar os testes em breve, por enquanto, eles são tratados de B32 hatch e L38 sedan. O hatch será idêntico ao modelo europeu, já o sedan será este da imagem abaixo. A Grand Tour da segunda geração continua a ser fabricada no Brasil, enquanto tiver volume de vendas.


O jipinho H79 será lançado no Brasil no final de 2010, o seu desenvolvimento segue em conjunto ao modelo europeu. A plataforma é a B0 (família Logan), ele usará muitas peças de acabamento do Sandero, além dos bancos. O modelo terá um estilo bem incorpado, mas sem o estepe na traseira, por questões de segurança.

Já a picape que até então estava descartada voltou a figurar na lista de lançamentos, cuja informação foi publicada aqui com exclusividade, em 17 de abril. O modelo será a mesma picape Dacia Logan, já comercializada na Europa, porém, a nacional terá os traços do Sandero, conforme as projeções abaixo. Serão duas versões, sendo uma aventureira e outra mais simples voltada para o trabalho.

Fotos Renault/Divulgação e projeções de Paulinho Miranda

18 comentários:

  1. Puuuuuuuuuuuuutz que tesão de carro esse Megane, pow chega fiquei de..... olhos abertos kkkkkk e gostei das Pickups Sandero, poxa super safadinhas elas, gostei Renault ta de Parabéns!!!!

    ResponderExcluir
  2. Eduardo Teixeira Kull10 de junho de 2009 08:20

    Ja gosto do atual Megane, especialmente a Grand Tour, e lamento que a marca nao consiga fazer o mesmo decolar. Tem defeitos? Tem, como qualquer produto mas na minha opiniao bate facil em modelos como o Vectra e ate mesmo o Sentra. O que e triste e ver, DE NOVO, perdermos a fabricaçao de um modelo medio, que incorpora tecnologia e tem retorno financeiro mais alto, para a Argentina.

    ResponderExcluir
  3. Será que já não era hora do consumidor brasileiro se impor e começar a forçar as montadoras a fabricarem modelos médios, de alta tecnologia, no Brasil ?
    Será que o consumidor não pode interferir nessa prática comprando mais os modelos que gerem empregos no Brasil ?

    ResponderExcluir
  4. Elpidio,
    infelizmente, as marcas que ainda fabricam médios no Brasil não tem um bom retorno, a excessão de Honda e Toyota, que foram endeusadas pelos consumidores e dormem em berço esplêndido.
    Tome como exemplo o Linea, que se comparado ao europeu, chega a ser mais completo, e mesmo assim, não vende. Temos o próprio Megane atual como exemplo, é um carro top e não vende.
    Criou-se um mito sobre os importados, veja o jetta, que apesar do motor 2.5, não passa de uma variação do Golf, ou seja, é um Golf sedã, vendido a R$ 100.000,00. O mercado brasileiro não valoriza seus produtos.
    Pesa também sob a decisão das montadoras a altíssima carga tributária do Brasil, que encarece em muito seus produtos.
    Espero realmente que o novo Megane faça sucesso no país, mesmo importado.
    Quanto à linha Sandero/Logan, eu nem comento, essa sim é um desrespeito ao consumidor!Ao meu ver, até denigre a imagem da renault com esses dacias fuleiros! É claro que toda marca precisa de carros baratos em linha, mas a supressão do Novo Clio pelo Sandero chega ao ridículo!
    Que ofereçam-se Sanderos e Logans, mas como Dacia, e dêem a oportunidade do brasileiro ter em sua garagem o Clio, o novo Twingo, entre outros...mas estamos no Brasil né!

    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. É verdade. Temos que criar uma mentalidade nos consumidores de dar preferência ao produto made in Brazil. Daqui ha pouco irá ser fabricado no aqui só carro de entrada.

    As vendas de carros na Argentina são pífias perto do Brasil, a VW que é lider tem em torno de 7.000 carros vendido por mês, a Fiat que é a 5º tem em torno de 5.000. Como pode um país que vende quase 3.000.000 carro/ano perder tantos invertimentos para o país vizinho. Uma grande para é culpa dos impostos. É presciso mudar!

    Os carro da Renalt na minha visão ainda tem muito para evoluir, hoje eu não compraria um carro dela.

    ResponderExcluir
  6. tambbem acho q os brasileiros deveriam boicotar todos os produtos q fossem fabricados na argentina pois eles fazem de tudo para q os nossos produtos encontrem dificuldades para serem vendidos naquele mercado eles tao protegendo os empregos dos argentinos entao quando formos comprar produto nos tambem devemos dar preferencia ao nacionl. q tal fazer uma campanha para nao comprar produto argentino

    ResponderExcluir
  7. A renault deveria lançar a Np200, picape vendida na africa do sul, com a marca Nissan, derivada do Logan, mas bem ajeitada, parece um mini Frontlier, principalmente a frente. Na minha opinião é bem mais bonita que essa picape Sandero

    ResponderExcluir
  8. Link da pagina de venda da Np200 na Africa do Sul http://www.nissan.co.za/en/web/models/NP200/home/hpage.htm

    ResponderExcluir
  9. Adianta falar em boicotar carros oriundos da Argentina quando a maioria dos consumidores nao estao nem ai para ergonomia, segurança, origem do produto, situacao do mercado etc. Concordo q os impostos aqui tornam certos produtos inviaveis de serem produzidos, mas sera q eh so isto mesmo? A Honda e Toyota fazem carros bastantes completos e nao tem preço exorbitante. As pessoas se deixam iludir comprando 207 q na verdade eh 206 e Vectra q nao passa de um Astra. Ainda, ha o fanatismo e crendice em pensar q carros franceses tem manutencao cara e so VW eh confiavel sem falar para a crescente tendencia em comprar carros alemaes e japoneses, por serem supostamente mais confiaveis e melhores de revenda. Por isso q carros franceses vendem pouco e, possivelmente, perdemos investimentos como esta nova geracao do Megane. Os Argentinos e outros compram bem mais carros franceses vide a fabricacao la dos C4 e 307. Ainda, o custo de producao la deve ser menor. Logo, eh maior fazer nestes paises onde a demanda eh maior e sai mais barato e graças aos acordos comerciais chegam aqui com mera conversao de moeda e quantidade conforme a demanda.

    ResponderExcluir
  10. A Renault sofre mesmo com preconceito no mercado. Lembro uma vez que as autorizadas FIAT ROMA e FORD BHFOR falando que não aceitavam Renault nem Peugeot porque encalhavam na loja...
    Enfim... tem muito a ganhar espaço e espero que invista em produtos de nível e não com Logans e receitas disfarçadas de Dacia para nós.

    ResponderExcluir
  11. Cara essa "MINI Frontier" da nissan NP200, beira o ridiculo um carréco desse não suporta o Brasil prefiro as sanderetes da foto do post, mais robustas, Thiaguin meu fi vc tava de óculos, tava alimentado? onde bulhufas isso parece uma mini frontier homi de Deus!!!

    ResponderExcluir
  12. Só por curiosidade, no site da Auto Esporte tem uma matéria dizendo que os carros da Renalt foram proibidos por falta de qualidade de serem vendidos na China. Que piada!

    ResponderExcluir
  13. Vilker,

    os chineses deviam pensar duas vezes antes de fazer tal proibicao, pois eles compiam descaradamente o design de varios carros e nao pagam um centavo por direito de propriedade. Ainda, a qualidade dos materias dos seus produtos eh questionavel. Logo, cometendo tantos erros querem da uma de melhores q os outros. Se fossem os coreanos ate ia, pois eles sim tem conquistado um padrao de qualidade mundial.

    ResponderExcluir
  14. Incorpado está errado. O Certo é Encorpado.
    Se até um jornalista comete um erro destes...

    ResponderExcluir
  15. É verdade Raimundo,
    como um país que só copia e a qualidade de suas industria é péssima(no geral) pode proibir a Renalt de entrar lá? Realmente foi uma piada.
    Abçs.

    ResponderExcluir
  16. Elias, gosto não se discute. Eu falei que prefiro a Np como proprietário de uma pickup pequena. O maior problema desta pickup Sandero vai ser a harmonia, o Sandero é redondo, no hatch deu pra disfarçar a lateral quadrada, agora numa pickup vai ficar dificil. A traseira tb ñ cabe faróis redondos, aho que iria ser muito Frankstein, até mais que o 207. Quanto a Np200, Olhe pelo link, pq existe uma versão não esporte dela que é bem logan, agora a esportiva, só perde em beleza pra Strada.

    ResponderExcluir
  17. Bem, memso o Brasil sendo pais emergente com mercado promissor(que enche os olhos das montadoras, nao so pela manutencao e crescimento de vendas, deve ser o pais que tem os carros mais caros do mundo(e isso nao e so pela carga tributaria)mas boa parte pela ganacia das montadoras(parecem que teem algum acordo de fixacao e precos, qdo lancam seus modelos por aqui)e memso com a nossa M.Obra bem mais barat que o 1o mundo,elas nos enfiam a faca literalmente em nosso bolsos.
    O MSN AUTOMOVEL comecou uma serie de reportagens no ultimo dia 06, mostrando a disc repancia de precos (dos modelos feitos aqui) e exportados pro Mexico,e Argentina e claramente da pra ver que ha anos colocam a culpa nos impostos,Pra justificar os precos altos, mas nao e isso nao....tem muita coisa de podre no reino da Dinamarca!!!!
    Por esta razao, (lucros por carro altissimos, salarios aqui muito mais baixos, e custo de materias primas equivalentes aos la de fora),e que as montadoras so nos empurram modelos defasados/maquiados.
    Tem cabimento por ex, um Fusion,ou um Accord custar uns usd 20.000,00 (c/imposto)no mexico e usa e custar r$80/90.000,00 aqui.Facam as contas com mais 25% de ipi, e 18% de icms, e vejam qual o lucro por unidade, se nao e um negocio da china, vender carro aqui no Brasil!!!.
    Há muito se tornou lugar cumum culpar a execessiva carga tributaria, mas nao e so isso,pois ainda que eles sejam realmente nocivos e atrapalhem os preços, estes não devem ser a única explicação para o problema.

    Segundo a coluna mais recente do jornalista Joel Leite, a margem de lucro das fábricas é 3 vezes maior no Brasil, do que em qquer outro pais.
    Se aqui nos conseguissemos distinguir o que é preço e o que é imposto, (como nos USA), a resposta seria mais simples e direta(GANANCIA MESMO), e nao adianta ficar choramingando o porque nao temos as mesmas versoes atualizadas la de fora.

    E o Fiesta vem ai, segundo um site, maquiado como novo(tal qual o Peugeot fez com o 206 aqui e chamou de 207!!!)

    ResponderExcluir
  18. Se realmente vierem esses modelas a Renault esta de parabens, muito bonitos, mas se os "nacionais" meterem o dedo como fizeram no 207 modificando a frente e deixando a velha traseira do 206(mulher com otima comissao de frente e sem bunda)Olha que nem venham.

    ResponderExcluir