quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Novos motores Fiat e Chevrolet


O Autos Segredos recebeu um contato que logicamente não será identificado e, este confirmou alguns detalhes já antecipados pelo blog. Como o fim do propulsor 1.9 16V do Linea e os motores Tritec da Fiat que serão o 1.6 16V que deverá render 128cv com álcool, a novidade fica por conta da cavalaria do propulsor 1.8 16V que deverá ter algo em torno de 148cv, caso esse número se confirme, isso justifica o fim do 1.9 16V do Linea.

PUNTO Alguns leitores andam perguntando a data de chegada do Punto com o propulsor Tritec 1.6 16V, a data certa ainda não há confirmação. Ontem, eu vi um na saída da fábrica, e conforme antecipei o modelo não terá grandes mudanças além do motor. A mais significativa é um novo rádio parecido com o do Fiat Stilo, pelo que vi ficou bem mais interessante no painel do Punto, não fotografei, pois, estou atrás de "assuntos" mais importantes e com isso não valeria queimar um cartucho. Pelo que uns "amigos" me confidenciaram o lançamento é no primeiro semestre.

A outra novidade fica por conta da Chevrolet que estaria desenvolvendo um novo motor 1.8 com potência de 148cv, esse propulsor será uma evolução do atual 1.8, que segundo nossa fonte tem o mesmo cabeçote e bloco desde da época do Opala. A desculpa do fabricante é que como eles possuem os melhores "dress-up", ou seja, tem os melhores componentes que vão agregados aos motor como bomba d´agua, bomba de óleo, bomba de direção hidráulica, ar condicionado, entre outros componentes. A promessa é que com as mudanças o ponto fraco do motor que é o alto consumo melhore significativamente. Entretanto, a má notícia fica por conta que devido a problemas relacionados na nova transmissão que vai no novo motor e por conta do alto investimento o propulsor chega somente em 2012.

Foto Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

44 comentários:

  1. A Fiat está demorando demais!

    Não tenho coragem de comprar um carro novo com

    o motor sendo prestes a ser extinto.

    Vou procurar outra montadora, pois estou sem

    carro a quase um mes esperando esse Punto...

    E com isso estou "Puto"

    ahahaha!

    Abraço e obrigado pela notícia.

    ResponderExcluir
  2. Nossa que noticia OTIMA !!!! Será que este 1.8TRI vai equipar o Punto HLX e/ou Sporting ???? Se for eu ando de taxi/onibus/metro/carona mais um pouquinho rsrsrs !!! 150cv num motor 1.8 aspirado naturalmente...os proximos T-jet´s vão ser um arrazo !!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Ah Marlos, vc sabe me dizer se o Punto com motor 1.6TRI vai ser somente o Dualogic ???? Se tiver cambio manual vou de punto 1.6TRI amarelo e skydome na cabeça !!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. 1.6 com 128cv ! Parece ser bom heim, vamos esperar e ver...
    Tenho um palio weekend treking com motor 1.4, na minha opinião esse motor é bom porque é econômico, mas em rodovias falta fôlego (são apena 85cv), agora esse 1.6 promete algo melhor.
    Agora a GM... que tristeza esses motores, da época que se amarrava cachorro com linguiça,só faltava eles relançarem o opala.
    ACORDA GM !

    Abraço a todos.

    ResponderExcluir
  5. Daniel, é certeza que vão fazer um manual além do automatizado. A Fiat tem mais que abadonar esse 1.8 beberrão e manco da GM, que é MUITO defasado. Deveria extinguir o 1.4 da própria Fiat, que é igualmente ruim como o 1.8.
    Agora, esperar da marca que estacionou no tempo como a Chevrolet mudar alguma coisa é lamentável. Já era pra ter atualizado todos os carros e motores a muito tempo.

    ResponderExcluir
  6. Tá explicado porque a Fiat é a lider de mercado? E porque ano após ano a GM vem perdendo paritcipação nas vendas nacionais?

    Uma vai lançar um motor totalmente novo no Brasil (e mundo), já que esse motor não chegou a equipar os carros da Mini, sendo protótipos na época que a Fiat adquiriu a fabrica com direito a acabar seu desenvolvimento e produzi-lo. A expectativa é que esse motor cheque em 2010. Agora imagina como Punto (carro em que sou apaixonado) vai ficar equipado na versão HLX e Sporting? Será um capetinha, nem precisa do T-Jet de 152 cv, agora se ela trouxer o de 180 cv, será bem recebido. rsrsr

    A outra, vai lançar mais uma atualização do velho e beberrão 1.8 do Monza. Mudam-se isso e quilo, mas o principal permanece o mesmo. Esse motor já carrega em sua bagagem décadas, assim como o VW AP 2.0. São bons motores, mas passaram da hora de serem aposentados.Especula-se o Agile seja lançado 2011 com uma atulaização do atual 1.8 de 114, que passariam para 128 cv. A agora em 2012 com um up 148 cv. Deve ser remendo pra tudo que é lado. Isso para 2012.

    Ficou facil saber, né?

    João, acho que puto vc ficará, depois que o Punto for lançado, um exelente carro, com um motor muito bom. Acho dificil achar coisa melhor.

    ResponderExcluir
  7. Sendo 1.4 xoxo e o 1.8 (GM) beberrao, acredito que essa evolução "tardia" da FIAT angarie umas vendas a mais !!!

    ResponderExcluir
  8. Por isso piloto um EA-111 1.6 !!!

    :P

    ResponderExcluir
  9. Danilo eu sei que ela vai lançar o 1.6TRI com cambio manual, mas o que eu perguntei era se neste semestre ele iria vir somente com o cambio dualogic ou não??? Foi isso que eu quis dizer. Ainda acho que 327, e motores tritec serão lançados no BBB10 !!!

    ResponderExcluir
  10. Motores tritec = 1.6TRI...e se fosse pra chutar também acho que o ideia reestilizado vem no final do programa !!!

    ResponderExcluir
  11. Esses valores estão muito bons para serem verdades. Tenhamos fé...

    Alguém sabe se na linha Palio Weekend/Adventure 2011 a ser lançado esse ano já vem com o Tritec 1.6? Estou interessado numa station (perua) e não tenho confiança no Megane GT (muitos relatos de problemas).

    Com relação ao Punto, bem que ele poderia receber o 1.8 Tritec na versão Sporting, né?!

    Marlos, acredito que o 1.6 terá no máximo 127cv, para poderem vender para frotistas como o Linea LX. Será?

    []s

    ResponderExcluir
  12. Grande Marlos...
    Boas notícias a vista!
    Tritec 1.6 com 128 cv! Um sonho...
    E Vilker...tamo junto! Punto = o carro mais bonito do mercado nacional! Que o evo NÃO venha tão cedo para podermos curtir um pouco mais o design perfeito do Punto!
    Quanto a GM, tá ruim mas tá bom...pra quem tá se arrastando, engatinhar já é uma evolução. Eu não compraria nenhum GM existente no mercado, mas tem gente que gosta.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  13. Sinceramente, acho dificil este 1.8 16V entregar 148cv mesmo sabendo q ha tecnologia para isto pelos seguintes motivos:
    1-potencia superior aos motores da Honda e Toyota q sao modernos e sabe-se q quanto maior o rendimento, mais caro eh o motor;
    2-se ele substituira o 1.9 16V, manter a potencia deste ou ter um leve aumento ja indica q o motor eh mais moderno;
    3-atualmente a diferença de potencia do 1.9 16V para o T-Jet eh de 18cv e com relacao ao 1.8 GM sao 28cv. Tem-se uma certa relevancia e o T-Jet ainda eh mais economico. Se a diferença caisse para 10cv (faixa dos japas)ou 2cv como sugere o texto, o T-Jet seria prejudicado fazendo com q a Fiat aumentasse a potencia dele para torna-lo novamente relevante criando um efeito negativo para os atuais donos de Punto e Linea;
    4- o NA exibiu um flagra do Bravo usando o motor T-Jet a gasolina. Os 150cv q o T-Jet oferece tanto para o Punto quanto para o Linea e, em breve, para o Bravo sao suficientes competir com os seus concorrentes. Como o motor eh importado e suas diferentes potencias dependem de certos ajustes q possivelmente seriam feitos na Italia, para uma reducao de custos o ideal eh importar uma mesma configuracao. Mesmo sendo possivel q os produtos q usam o T-Jet tenham potencias diferentes, se isto tornasse realidade, cairia na situacao levantada sobre o custo.

    Pra mim, uma potencia interessante para o 1.8 Tritec seria uns 135cv via alcool, pois supera o 1.9 16V, esta proximo dos japas e tem-se uma margem boa q nao precisa provocar alteracoes no T-Jet.

    ResponderExcluir
  14. Faz um tempo q espero o 1.6 tritec, e fiquei bastante contente d saber q tbm haveria um 1.8 ainda mais com essas potencias!
    Imagina qnto ñ deve anda o Bravo com esse motor d 150 cv? Bem pra te uma noçao vejam a avaliação da 4 rodas do Bravo italiano com a mesma potencia (embora vinda d um 1.9 turbodiesel)!
    Com certeza será um sério candidato a minha garagem!
    Agora qnto a esse 1.8 da GM, imaginei q ele viria com uns 130 cv e ja viria no Agile, mas só em 2012? A chevrolet ta d brinkadera...

    ResponderExcluir
  15. Anonimo,
    a Fiat aplica um ajuste na injecao eletronica do 1.9 16V para entregar a potencia menor de 127cv q da privilegios tributarios para frotistas e deficientes. Isto pode ser feito nos Tritec evitando a adocao de mais um motor para isto.
    Ainda, ha de se considerar algumas situacoes quanto a utilizacao do motor 1.6 16V no Linea:
    a Fiat tenta convencer q ele eh um medio. Mesmo tendo carros medios como o Cerato q usa motor 1.6, fazer isto no Linea reforçaria sua origem com relacao ao Punto q devera ter este motor;
    se o Linea ganhar, tambem, o motor 1.6 q eh mais barato q o 1.8, suas vendas aumentariam ainda mais.
    Desta forma, ficaria a cargo da Fiat aumentar o volume de vendas atraves de versoes mais baratas correndo o risco de tirar o status q ela deu ao Linea.
    Ja o Bravo pode ter os motores 1.6 e 1.8 16V Tritec alem do T-Jet, pois as possiveis potencias destes estariam na faixa de concorrentes como 307, Golf, Vectra GT, Focus e I30.

    ResponderExcluir
  16. Eh Gilherme,
    quando esperavamos q os Ecotec apareciam, surgem noticias como a acima.
    Tudo indica q os carros da GM vao ser retrabalhos. Descarto a vinda da nova geracao do Astra q aqui eh Vectra e aposto q para substituir este ela pegaria a carroceria o Cruze e jogaria sobre a plataforma ja super aproveitada do nosso Astra (Vectra) e empregaria o tal motor 1.8 acima pra nao trazer o Ecotec e o downsising da Opel.
    Seria uma solucao viavel caso o Cruze substitua o Vectra e seja feito aqui. Para impedir isto, so importando-o do Mexico, mas neste caso teriamos todos as modernidades do Cruze como ocorre com o Captiva.

    ResponderExcluir
  17. Essa demora da FIAT tá fogo... Tem uma sombra EM TODA A LINHA! Dureza! Toda a linha mesmo, pq até o "novo" Doblò também poderá ter mudança de motores, senão já ao final deste ano, como pode ser em 2011.
    Mille, Palio e suas "extensões", Punto, Stilo, Linea... Fora o atraso do Bravo que sombreia o próprio Linea.
    Eu tenho desconto em FIAT e estou perto de comprar um de outra marca. Como um amigo nosso aqui que posta conosco, estou farto de esperar. A FIAT tem que fazer um pronunciamento.

    Da GM, depois do Agile, simplesmente só espero a falência. Nos tirando carros Opel, quase FECHANDO a Opel, fechando a Pontiac, pouco se lixando pra SAAB... A única coisa boa que saiu da Coréia de propriedade da GM foi o Opel Antara. Mais nada. E pelo que vi do novo Aveo, o Spark fez escola e tá tudo bem fraquinho. Só salva a Opel mesmo e agora está cada vez mais longe de nós. Até torci que a vendessem pro russos. Tenho pena da Opel, pena porque a prezo, e muito.

    A Ford bem que podia ser mais rápida também. Ou menos burra...

    A VW tb estava meio de zoeira e tá atrasando o Polo. Pelo menos CONSERTOU o Fox. Enfim, vergonha na cara. Orgulho bobo manter aquele painel de M.

    "Tô" ecstasiado com esses números Tritec. Como a Ford pegou leve, a pergunta é: Competir com Kia ou relaxar como a Ford?

    Aos poucos que compraram motores TJet, terem seus carros já obsoletos por aumento de potência iminente com essas potências faladas, vai ser outro golpe ao comprador de FIAT.

    Se a Kia tivesse algum modelo médio com doublewishbone, somando à atual linha e todos como tecnologia flex de combustível, todos teriam que correr, a Kia ia destruir. E olha quem tem bem mais demanda já que carros disponíveis...

    Acorda, FIAT!!!
    GM, RIP!
    Parabéns, Kia!

    ResponderExcluir
  18. Sobre os Tritec, a mera existência de um projeto de motor 1.8 não prenunciava um bom futuro para o motor 1.9. A SE CONFIRMAR a potência do 1.6, é mais do que provável que o 18, no mínimo, a potência do 1.8 deve se equivaler à dos japoneses. Gostaria de saber se a Fiat não pretende fazer uso do 1.6 Turbo. Incluive eu acredito que em vez do 1.8, um 1.6 turbo calibrado para uns 150 cv daria conta recado, ficando uma unidade igual, mas calibrada para mais potência para as versões "top" apimentadas. Como é um motor que já existe, seria o caso de apenas torná-lo Flex.

    Sobre a Chevrolet, parece mesmo que a marca está brincando com fogo. Enquanto até mesmo as japonesas se apressam em ter unidades Flex ao menos montadas no Brasil e as coreanas fazem força para ter o mesmo tipo de motor montado na Coréia, a GM NÃo investe no país e ainda acaba dando a pecha de INCOMPETENTE à sua engenharia com as constantes e reiteradas desculpas para não fazer nada de novo no campo dos motores por aqui. A empresa vai enrolando, não investindo, ou investindo em produtos de QUINTO mundo tipo o Agile e fazendo dinheiro para bancar o investimento em outros lugares do mundo e pagar as contas da matriz.

    ResponderExcluir
  19. Eduardo T. Küll,
    tanto o 1.6 quanto o 1.8 equipados com turbo poderiam atingir potencias equivalentes ou superiores as disponiveis no T-Jet.
    So acho dificil a Fiat empregar o turbo nestes motores q ja serao flex ou tornar o T-Jet flex, pois o gerenciamento da mistura de combustivel na presença do turbo fica muito mais complicada, cara.
    Talvez isto seja possivel (turbo flex) com a vinda dos MultiAir q conseguem controlar a taxa de compressao, fator primordial para o trabalhar corretamente com o alcool q precisa de uma taxa de compressao maior.
    Ainda, o T-Jet consegue altas potencias com baixo consumo, pois foi concebido para isto. Aplicar turbo nos Tritec talvez nao garanta isto e seria ainda mais caro por conta da cilindrada superior deles.
    Por fim, abaixo o link do NA onde mostra o Bravo com motor T-Jet. Inclusive ha um Corolla ao seu lado q parece esta com a frente coberta igual a aquele q esta na foto q o Marlos tirou, ou seja, seriam os mesmos Bravo e Corolla.
    http://www.noticiasautomotivas.com.br/leitor-flagra-fiat-bravo-1-4-turbo-em-rodovia-de-minas-gerais/

    ResponderExcluir
  20. Pergunta, ja que o 1.8 16V, terá 148cv, isso significa uma mudança na regulagem do Tjet?

    pq a diferença de 8 cavalos nao justifica mante-lo em linha.....

    que interessante em um punto com 180 CV??!!!

    ResponderExcluir
  21. Sabe o que é pior Eduardo, os motores para as versões OPC da Opel são de fabricação brasileira e exportada para a Alemanha. Motores com:
    192cv, 200cv e agora o novissimo de 225cv com injeção direta sempre na motorização 2.0 16v, são fabricados aqui.

    Agora a pergunta: Esses motores naturalmente são turbinados para gerar tal potencia, mesmo a primeira versão de 192cv, já muito moderno pensando no modelo produzido no Brasil e o melhor, como é europeu segue normas exigentes de poluição (o de 192cv também já esta tão moderno que já segue as normas) ai a pergunta: Se nós produzimos, exportamos pq a necessidade de retrabalho em um motor ultrapassado que gera muito mais custos do que montar um motor novo que ja existe expertise da GM?

    Não da para entender. É revoltante saber que a GM tem tecnologia para isso mas não a usa, ou então não tem autorização é um descaso com o brasileiro e sinceramente assim como outros membros eu também não teria NENHUM carro da GM atualmente.

    Agora, ficar lançando motorizaçoes em conceito downsizing nem sempre é o ideal. E entre um motor moderno com comando variavel de valvulas que me rende 140cv, pq iria ter interesse em um motor sobrealimentado que a ação do turbo ocorre em 2000rpm sendo que abaixo o carro é um 1.4 ou 1.6 16v comum?

    Não sei a realidade de vcs, mas a minha por exemplo é ter um carro bom desde o arranque até as velocidades de cruzeiro ou limite da via. Nesse fato do turbo eu sou mais adepto a um motor mais potente onde o torque e potencia do motor apareçam mais cedo do que um motor mais fraco onde no Brasil isso se torna ruim.

    Eu gosto da Fiat, mas ja andei em um Linea T-Jet e percebi a deficiencia em cidade. Certamente não cogitaria ter o modelo, ele parece ser mais pesadodo que é. (e olha que o motor turbo responde bem depois de 2000rpm, mas da trancos pq a turbina a partir desse ponto já se encontra ativa).

    Eu acho mais justo ter um modelo 1.8 de 148cv que possa render melhor tanto para cidade e estrada tendo um consumo contido e se ainda fizer de downsizing mudar as dimensoes do turbo para admitir a potencia mais cedo. (isso gera custo e quem fará manutenção terá de pagar mais, já que o desgaste será maior).

    Por fim nesse aspecto, acredito que a VW saiba calibrar melhor suas motorizaçoes turbinadas (isso nao quer dizer que todas são de qualidade, mas a motorização dos modelos 2.0 turbo ou 1.8 da Audi realmente são exemplares e por isso o exemplo).

    Espero que a Fiat não se perca ou faça corte de potencia para manter a versão de topo continuar com a maior motorização. Nesse aspecto eu concordo que o motor 1.4 deveria receber uma potencia por volta de 170 a 180cv mas como eu disse, mantendo um turbo alimentando cedo para evitar problemas com o nosso modo de condução no Brasil e consequentemente obtendo a economia que tanto o conceito downsizing declara. (só para deixar bem claro, ninguem com motorização "forte" anda pouco, portanto não esperem ter consumos como um 2.0 "comum").

    Abraços
    Edson

    ResponderExcluir
  22. Achei curioso que a notícia tenha a mesma potência de 148cv tanto pra FIAT quanto para GM.

    O "atual" 1.8 da GM é família I, diferentemente da época de Monza. O família I é chevetão mesmo. E olha que no fundo, dá pra ouvir um chevette "falando" ao prestar atenção em um Celta ligado. Principalmente o 1.4 .

    Essa de o Brasil exportar motores GM com a alta tecnologia não podemos comprar, realmente é caso de Jornal Da Globo!

    Bom, dane-se a GM.

    ResponderExcluir
  23. Esse novo motor deve ser um arrazo mesmo mas esta demorando muito a chegar...
    Queria saber era qual o torque maximo desse 1.6 16v deve ser em torno dos 16,5(g) 16,7(a) se for isso a uns 3100 rpm vai ser uma beleza.
    Quanto aos fire 1.0 deve sair de linha pois é um motor muito manco, principalmente se ligar o ar, e no seu lugar colocar o fire 1.4 nos modelos de entrada, deixando os tritec 1.4 16v e 1.6 16v para os modelos das categorias superiores.
    Quanto a GM vamos ver se dessa vez o powertrain vem economico mesmo, pois apesar de tudo não é um motor ruim, tem um exelente torque e potência razoavel, com manutenção barata, alem de ser durão que aguenta qualquer tranco e qualquer mecanico consegue mecher.

    ResponderExcluir
  24. Olá Marlos, vc poderia dar uma conferida no painel da Idea se possivel, tenho informações que a Fiat finalmente resolvel trocar as saidas do ar de lugar com o radio e que agora ela tem ar digital e controles do som no volante.

    ResponderExcluir
  25. Lembrando aos desavisados que o motor turbo anda sempre mais que um não-turbo de mesma potência. Se pegarmos 2 unidades, uma turbinada e outra comum, mas de mesmíssima potência, ainda assim o motor turbo iria andar muito mais. Isto ocorre porque o torque nesta unidade está disponível numa faixa mais ampla de rotações, e com isso a curva de potência é mais plana também. Não comprem carro só por números de potência, é preciso avaliar o desempenho pra dizer qualquer coisa.

    ResponderExcluir
  26. Nem te estreça Raomundo. O cruze é feito sobre uma plataforma derivada da do Astra anterior, q tem bastante em comun com a do "nosso vectra", ou seja, com certeza os engenheiros da GM no Brasil vão ter algumas horas extras fazendo uns remendos no ferramental para poder fazer o Cruze (oq pode ser ruim ou não).
    E qnto a Fiat, fiquei sabendo q ela tem planos para fazer um motor "turboflex"aqui no brasil, só ñ sei nem pra qndo é e nem a cilindrada!
    Realmente ñ é uma tarefa simples mas se vcs procurarem no Best Cars, verão q isso ja foi feito, A bosch mecheu num polo para andar com alcool, gasolina e GNV, e com turbo.
    Logico q a potencia ñ fico digna d um esportivo, foi só para aproximar a potencia do gnv, com a do alcool e da gasosa!

    Ta ai o link: http://www2.uol.com.br/bestcars/tecprep/polo.htm

    ResponderExcluir
  27. Edson Fernandes,

    o Linea T-Jet entrega torque maximo superior a Corolla e Civic ja aos 2500 rpm e a potencia maxima tambem chega numa rotacao menor, 5500 rpm. Assim, seu rendimento e desempenho sao mehores. Com relacao aos trancos, a turbina eh de baixa inercia q entre em funcionamento mais cedo e de forma mais suave. Se fosse uma convencial, entraria mais tarde e o tranco seria pior.
    Continuo nao acreditando q o Tritec 1.8 16V va entregar 148cv no alcool. Pelo q dizem, ele tem as mesmas caracteristas dos motores dos japas e o q vem ocorrendo quando um motor a gasolina passa a ser flex eh q os fabricantes tem optado por garantir a potencia anterior (quando a gasolina) com o alcool pra nao interferir muito na taxa de compressao, pois o aumento desta beneficia o alcool, mas em determinado ponto prejudica a gasolina.

    Guilherme,
    li sobre esta materia e o turbo realmente vem fazer com q o gas sobrealimentado tenha maior rendimento para se aproximar do alcool e gasolina.
    Todavia, como a taxa de compressao nao eh alta, tanto o alcool quanto o gas nao sao plenamenta aproveitados. O turbo, na pratica, vem fazer com q a queima ocorra mais rapido para garantir mais torque e nao potencia ja q a taxa de compressao eh limitada.

    Com relacao ao turbo flex, o conceito MultiAir pode garantir isto, pois como a taxa de compressao eh maior e controlavel, o motor pode atingir torque maximo mais cedo e garantir maior aproveitamento com o alcool atraves de uma tx de compressao maior ajundando no consumo e aumento ainda mais da potencia final(nos atuais flex a taxa de compressao atua como um limitador para pior para o alcool, pois seu rendimento nao eh pleno e na gasolina tenta evitar a combustao expontanea q poderia fundir o motor).

    ResponderExcluir
  28. Ha quantos anos que a Fiat fez a ignorancia de aposentar o motor 1.6 16v ??? Nao sei ao certo mas faz muito tempo, depois disso e com essa motorização GM1.8 alvo de criticas de praticamente todas as revistas e jornais especializados ao longo de tantos anos....essa novela do fim do motor GM parece estar perto do fim...será???

    Se for mesmo aposentado , já vai tarde .....eu me recuso a comprar um carro da fiat com quele motor. Ainda hj tenho um WeekEnd Treking 1.4 que eh bem economico se andar com tranquilidade...pq se quiser desempenho nao vai encontrar, pois o motor parece ser mais fraco do que qq outro 1.4 que eu ja guiei (honda e gm).

    ResponderExcluir
  29. William

    Quase troquei minha Strada Adv com esse beberrão monzatec 1.8 por um Punto 1.4, procurando ecconomia, agora vou aguentar ela mais um pouco e que venha o Punto 1.6 16v!!!!!!!

    ResponderExcluir
  30. O motor 1.6 foi aposentado pq ele era importado da Itália, e como a Fiat na época tinha feito um acordo com a GM, a solução mais viável e rentavel para a Fiat era usar o motor 1.8 familia I, e foi o q ela fez. Só q agora o contrato d fornecimento com a GM está acabando e ela comprou a fabrica da tritec para fazer seus motores 1.4, 1.6 e 1.8.
    Tecnicamente esses motores ja estão prontos faz tempo e ja estão sendo utilizados, mas somente a gasolina e com potencia de 110 cv, mas ele é vendido somente para exportação e
    ñ pe flex, o q possivelmente acarretaria em baixas vendas, por isso essa demora em os motores chegar ao mercado.

    Raimundo

    A taxa d compressão dos motores flex realmente é alta e aliada ao turbo poderia acontecer d o motor detonar, mas se você realmente viu a matéria, você pode ver q o turbo pode atuar com pressões diferentes por meio d uma válvula eletromagnética aliada a um sensor d combustível ja existente nos motores flex, e dependendo da mistura d combustível o turbo usa pressões diferentes, para poder aproveitar o efeito anti-detonante do álcool (usando uma pressão mais elevada)sem o motor detonar quando se usa a gasolina (usando-se uma pressão mais baixa) e como o sensor também iria reconhecer a porcentagem d gasolina/álcool e permitiria usar pressões intermediárias, ñ é uma tarefa simples, mas também ñ é impossível, e se a bosch conseguiu fazer isso, provavelmente se a Fiat se empenhar também consiga.

    ResponderExcluir
  31. Sim Raimundo, eu concordo com vc.

    Eu não sei exatamente onde vc mora e se vc teve a oportunidade de andar em um Linea T-Jet, mas como eu disse não o acho de potencia inferior aos carros citados só o acho fraco abaixo de 2000 rpm.

    Foi como eu disse, eu ja andei, tivesse essa sensibilidade como passageiro e confirmei realizando uma pergunta ao motorista do carro.

    Vc quer um exemplo?

    Estavamos no anda-e-para da av. paulista. Então toda vez que o motor ultrapassava 2000 rpm a turbina entrava em ação (vc sentia por mais leve que o seu pé estivesse) e ao trocar de marcha ao tirar o pé e dar a liberação de pressao vc sentia o carro dar tranco. Mais nesse sentido.

    Não é um tranco absurdo, mas é mto nitido. Vamos dizer que para um Sedan isso é aspero, se vc espera um comportamento de carro esportivo esse "tranco" te demonstra que ali tem motor e portanto goste. Mas o ruim foi em uma rua, a Manuel de nobrega, ao acelerar e ultrapassar os 2000rpm o carro da uma empurrada e vc sente força, mas é bem incomodo qdo se tira o pé do acelerador mesmo dosando aos poucos. Mas é nitido que se vc estiver na parte ingrime da subida e manter o motor a menos de 2000rpm o carro nao desenvolve, apenas depois disso. Tive momentos que realmente foram prazerosos que foi ao sair da Paulista seguindo a domingos de morais num andar ao limite da via que era no momento de 60km/h. Ultrapassou ogiro correto o carro puxa que é uma beleza.

    Inclusive o rapaz que dirigia não trocava as marchas a menos de 3000rpm pq gostava da tocada do motor.

    Entenda, o motor anda bem, sem duvidas, mas abaixo de 2000 rpm parece morto. Essa sensação de saida do Civic e do Corolla me agradam mais pq vc pisa e o desenvolvimento é imediato. Fora isso não tem nem o que dizer do motor Turbo.

    André, tudo depende da relação de peso x potencia e a aerodinamica aplicada ao carro. Não adianta querer comparar dois carros diferentes mesmo um deles sobrealimentados. Dependendo do modelo vc pode sim ter uma perda importante de desempenho devido ao porte do carro. Sem contar também outros detalhes como o cambio.

    Abraços
    Edson

    ResponderExcluir
  32. Guilherme M,

    esta do Polo eh uma solucao. Um maior entendimento do MultiAir pode da a Fiat capacidade de criar um motor turbo flex downsising com maior rendimento.
    Agora, ter uma solucao eh um coisa. Ser comercialmente viavel eh outra.

    Do como exemplo uma tecnologia ja disponivel q apenas o Polo usa: o sistema de partida a frio sem tanquinho. Esperava-se q o japas a utilizasse e lançaram o Fit e depois o City sem isto.
    Outras marcas com muito mais tempo de mercado
    sabem q isto eh um passo no aperfeiçoamento do sistema e ainda nao adotaram. Entao, qual o motivo delas ainda nao empregarem tal tecnologia?
    Como alguns especialistas ja disseram: nossos motores flex ainda tem muito a evoluir, pois nao tem injecao direta de combustivel, poucos tem comando variavel de valvulas, ainda nao se tem o emprego do turbo/compressor entre outros.

    ResponderExcluir
  33. Nosso amigo falou do TJet, mas engraçado que isso é uma caractarística FATAL do "1.9" 16v.

    Qualquer motor tem que estar vivo de 1500rpm pra cima. Essa de nascer a 2000rpm é só pra pé-de-chumbo mesmo e dá-lhe pé na tábua!

    ResponderExcluir
  34. Eu sei q um motor turboflex atualmente seria pouco viável, ainda mais num mercado como o nosso, q infelizmente, ainda tem preconceito com o turbo, pq o brasileiro é acomodado, ai vem com a desculpa do turbolag (q ao passar dos anos vem diminuindo) e com a manutenção do turbo!

    Eu sei q é uma solução o q a Bosch fez no Polo e q dificilmente seria rentavel num mercado "fechado" a novas soluções mecânicas como o nosso (a unica bem sucedida foi a tecnologia flex), mas pare pra pensar, seria tão caro instalar um turbo com válvula eletromagnética?ja q essa válvula pegaria carona nos censores do motor flex. Imagino q levaria algumas horas dos engenheiros da Fiat, mas ñ seria tão inviavel, ja q o o flex sem tanquinho d partida a frio sai mais barato q o convencional.

    Raimundo, ñ é querer desmerecer a sua idéia, eu entendi e concordo com td q vc disse, eu só estou querendo me fazer entender.

    ResponderExcluir
  35. Essa falta de disposição em baixas do 1.9 é história p/ boi dormir. Isso é simplesmente uma questão de costume, tenho um carro igualmente 16V e ñ sinto problema nenhum na disposição dele em baixa. Até mesmo pq ele compensa isso com mais potência. Tudo é questão de costume e o Civic tb é morto em baixas rotações assim como o Focus 2.0, ninguem menciona nada sobre isso.

    Alguem falou sobre o morto 1.4 da Palio Weekend e comparou com o Fit, mas é lógico que a Palio vai ser mais fraca, veja o peso dela e compare com o do Fit.

    ResponderExcluir
  36. Informação sobre o peso dos carros para comparação:

    Palio Weekend 1.4 ELX - 1091kg Trekking - 1098kg

    Fit LX 1.4 manual - 1080kg - automático - 1116kg

    ResponderExcluir
  37. O Edson Fernandes tem razão. Sou dono de um Linea T-Jet e o motor dele abaixo das duas mil rotações passa a sensação de estar num carro mais pesado do que ele aguenta, mas ai entra a turbina e o carro te empurra pra trás. Dependendo da pressão do seu pé no acelerador quando ele passar de 2000 giros ele até da uma cantadinha de pneu, mesmo já em marcha (isso no punto T-jet acontece sempre que se preciona o acelerador com um pouco de vontade). Mas apesar disso é otimo ter a potencia que ele tem com o consumo que ele tem.

    ResponderExcluir
  38. A explicao para lentidao do motor T-Jet abaixo dos 2000 rpm eh justificavel. Nesta situacao nao passa de um motor 1.4 cujo torque e potencias ficam pequenos neste regime de rotacao. Se a cilindrada fosse maior, torque e potencia tende a ser maiores em regimes menores, principalmente se tiver comando variavel.
    Ainda, nao devemos esquecer q a relacao de marchas tambem influencia, pois se o motor tem pouca força e baixa rotacao, uma ajuste na relacao da 1 e 2 marchas consegue contornar e todo motor 16V ou mais q nao tem comando variavel eh lerdo em baixa rotacao.

    ResponderExcluir
  39. Vamos esperar chegar mais perto para confirmar, lembram do 1.6 da ford que perdeu um monte de cavalos? Então...
    De qualquer forma, pelo jeito a Fiat vai renovar seus motores e creio que isso vai obrigar demais fabricantes a atualizarem os seus, principalemnte a VW, a grande concorrente, cujo 1.6 e 2.0, embora bons, não tem mais como competir com novos motores seja em rendimento seja em consumo.

    ResponderExcluir
  40. Renato Nea,

    com relacao ao motor 1.6 Sigma, na verdade foi especulacao ou erro de informacao, pois a potencia declarada era a do 2.0 e o q confirmou-se foi a real potencia utilizada em outros mercados.
    Vira flex nao quer dizer q a potencia vai aumentar, pois boa parte dos fabricantes tem optado em garantir a potencia q antes era com a gasolina na utilizacao do alcool para nao interferir muito na taxa de compressao do motor.
    Eh cedo para dizer q as possiveis potencias dos Tritec sejam as ditas em algumas materias, pois a Fiat estaria ofertando bem mais q a concorrencia e isto tem um preço sem falar q forçaria o aumento de potencia de outros motores como o T-Jet para se manter interessante.
    Fiz uma pesquisa no site da Porto Seguro e continua divulgado q o Bravo sem cotacao usara motores 1.9 16V com/sem Dualogic e o T-Jet (este ultimo confirmado, pois foi flagrado um veiculo com a descricao do motor fixado no painel).

    ResponderExcluir
  41. No site da Porto Seguros a Strada Sporting ja tem preço.
    "FIAT STRADA CE SPORTING 1.8 8V FLEX 2p Gasolina/Alcool R$ 43.498,00"

    ResponderExcluir
  42. Anomimo esse Fit aí é o novo ou o velho?

    ResponderExcluir
  43. Bem Raimundo concordo com suas explanações e inclusive é prazeroso entrar nesse espaço pois as pessoas que entram aqui geralmente tem um otimo bom senso de conversa e discussão tecnica. Realmente tenho entrado a pouco tempo (menos de 2 meses) e tenho realmente visto uma educação muito grande de todos. Muito legal ver isso em um comentario de blog.

    Eu acredito que talvez a Fiat possa solucionar tanto o problema do motor 1.9 16v como consumo e modo de andar em cidade como do motor turbo. Se o motor já passar a ser com comando de valvulas variavel, por mais que a potencia de um 1.6 16v fique por volta dos 115cv (que é a potencia hoje do motor 1.8 GM) mantendo um bom torque e essa variação entregar potencia mais cedo, com certeza a Fiat tem tudo para agradar os clientes.

    O que mais me intriga é a correria de querer entregar os motores de porte maior. Essa é uma pergunta de embate mesmo, mas será que as vendas de carros com motores melhores que os modelos abaixo de 1.6 estão sendo preferencia das pessoas que compram Fiat?

    Todo mundo fala dos motores 1.8 GM que são beberrões, eu já não acho, minha critica por esse motor é ser barulhento. Como ele tem um torque acentuado em baixas rotaçoes e por ser de concepção antiga adaptado para os dias atuais, acredito que esse seja o problema tanto de barulho como de carregar esse estigma desses modelos. Não mto longe, vejo carros 1.6 bebendo da mesma maneira que esse 1.8.

    Se a Fiat conseguir melhor o consumo no 1.6 16v será otimo e tomará que entregue as tecnologias que precisam para evitar as reclamações qto a motorização.

    Agora, pq será que o 1.4 16v será entregue depois? será que a Fiat tem a intenção de criar o 1.4 16v sendo um multijet?

    Abraços
    Edson

    ResponderExcluir