sábado, 17 de outubro de 2009

Motor Tritec chegará com as opções 1.4 16V e 1.6 16V ambos flexíveis


O emblema de identificação da versão ainda é o do propulsor 1.8, entretanto não passa de mero despiste. O ronco do motor entrega que o Punto flagrado já está equipado com o motor Tritec 1.6 16V Flex, o Autos Segredos apurou que o novo propulsor tem uma média de 8km/l quando abastecido com álcool, um consumo muito melhor que o atual 1.8 da Powertrain. Além da motorização 1.6 16V a Fiat também já testa o motor 1.4 16V da Tritec já preparado para rodar com álcool, ambos os motores usarão corrente no lugar da temida correia dentada. Infelizmente, ainda não há informação sobre quantos cavalos de potência os dois motores terão, a engenharia está na fase calibração dos motores, por isso, nem a fábrica tem os valores finais. O propulsor 1.4 deverá estrear no novo hatch 327 conforme antecipado pelo blog.

Foto Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

36 comentários:

  1. Achei incrível essa do ronco do motor, o escrito 1.8 podia enganar fácil. Parabéns pelo flagra!
    Finalmente, um item muito reclamado vai melhorar: o motor.

    ResponderExcluir
  2. Quem sofre com o alto consumo dos atuais 1.4 Fire e 1.8 Powertrain agradece! Agora, será que a Fiat considerou a produção local do motor 1.4 16v Fire (de 100 cv), que equipa o Cinquecento? Aposto em potências na faixa de 105 a 120 cv para os dois novos propulsores da Tritec.

    ResponderExcluir
  3. Daniel Ramos de Oliveira17 de outubro de 2009 13:38

    Não vejo a hora do Punto chegar com esse 1.6 Tritec(que deverá ter uns 130cv) e o 1.4 Tritec(que tomara que tenha uns 100cv,pelo menos),e tomara que os atuais motores 1.4 e 1.8 Flex desaparecam do mapa,que um é fraco demais e outro é um bebarrão do caramba.

    ResponderExcluir
  4. 130cv...putz...pode não cara, é muita coisa.

    Muitos tem a ilusão que quantos mais cv, melhor.
    Pra mim, deve haver economia, tecnologia, preocupação ambiental, potencia, segurança e motor confiável.

    Um amigo comprou um gol G5 que o oleo vive abaixando.

    Abraços a todos e parabens pelas matérias Marlos.

    Estive em BH semana passada na espectativa de ver o 327, mas não dei sorte. rs

    ResponderExcluir
  5. Essa do ronco do motor foi boa. 130 cvs ele num vai ter, até mesmo pq o Linea HLX tem 127 (salvo me engano) tendo maior cilindrada, isso significa que, ou o Linea troca de motor ou ele recebe uma atualização

    ResponderExcluir
  6. Ccara eu queria um PUNTO T-JET mais é muito caro TNC ¬¬

    ResponderExcluir
  7. Maravilha hein!!!
    faz tempo que a Fiat deve um motor decente para o Punto ( desde o lançamento, pra ser sincero!).

    Parabéns pelo furo Marlos!!

    ResponderExcluir
  8. Mas será que custa muito a Fiat mandar lavar os carros? No im das contas, num disfarça e ainda chama atenção.

    ResponderExcluir
  9. Paulo Freire, tem umas duas semanas que em Belo Horizonte (e região) está chovendo todos os dias. A FIAT realiza testes dos seus veículos nas estradas, em pista de testes dela (algumas são de terra mesmo.
    Lembrando também que existem na região muitas industrias que usam minério, que são transportados por caminhões e esses sujam um pouco a estrada.
    Abraços

    ResponderExcluir
  10. Paulo Freire: O Linea HLX tem motor 1.9 16v de 132cv no etanol e 130cv na gasolina. O de 127cv é o LX, na verdade, foi só recalibração da injeção, para que taxistas possam comprar o veículo (benefício fiscal).

    O 1.6 deve vir com pelo menos 115cv (versão tritec original), aposto em 120cv.

    O fato de ter corrente é excelente (notícia nova pra mim), iguala aos carros modernos como o novo Focus, não necessita troca, não "pula-dente"...

    Parabéns a Fiat e ao Marlos pelo "furo"!!1

    ResponderExcluir
  11. Presisamos esclarecer algumas coisas aqui:

    Anzolin, para efeito de comparação os motores 1.6 V da Kia que equipa o Cerato e o Soul tem 126 cv a gasolina.

    Se levarmos em conta que o Tritec "original" tinha 115 cv a gasolna e a revista Auto Esporte já revelou que haverá aumento na potência do motor e tbm levando em conta que os carros flex rodam com uma taxa de compressão mais alta e mais, o motor equipado com álcool tem potência maior que a gasolina. Então vamos aos possíveis nºs:

    Original com 115 cv, aummentando a potência para ums 120 a gasolina e uns 123 a álcool já estaria de ótimo tamanho. Só que como não sabemos o que se passa na Fiat podemos ir ainda mais longe. É sim possível que esse motor chegue a uns 125 cv a gos. e uns 129 cv a ál. Obs: Os nº são expeculação.

    O que a Fiat teria que fazer é uma evolução de uns 10cv no 1.85 do Linea ou lançar um Tritec 1.8 que pelo menos protótipo tem.

    ResponderExcluir
  12. Anônimo fiz o meu comentário sem ter visto o seu e é bom ver que mais gente pensa como eu.

    Acredito nessa história do barulho do motor, pois o barulho desse 1.8 GM é muito feio. É fino, parece que tá tudo solto, então marcante. Marlos, como ele aparenta ser? Mais grosso e mais silencioso?

    Parabéns pela descoberta!!!

    ResponderExcluir
  13. Marlos, o que falta para esse motor ser lançado? Lembrando que ele deverá ter o Dualogic. E o 1.9 com Dual. como anda o seu lançamento?
    Abçs

    ResponderExcluir
  14. Vilker,

    concordo contigo quanto ao barulho do Powertreco, é um ronco meio abafado e estranho, muito diferente do ronco com DNA italiano que os Fiats possuem (o Linea e principalmente o Fire 1.0, esse dá até gosto de se ouvir) ou seja, aquele ronco bem encorpado que dá gosto de ouvir.

    Anzolin,

    falei pq num conheço o clima nem as estradas de Minas, mas o que vc falou responde bem o pq dos carros tão sujos.

    Anônimo,

    obrigado pela informação, eu tinha me esquecido que era a versão LX (nem me lembrei dela).

    ResponderExcluir
  15. Saiu repetido o lance do "dá gosto de ouvir"...

    ResponderExcluir
  16. Prevejo uma grande mudança nos motores da Fiat ja apartir de 2010. Com esse motor fazendo o barulho que ta fazendo (desculpem o trocadilho infame) e ainda por cima se ele for bom a linha 2011 vai mudar todinha pra eles pode ter certeza. Eu só espero que o Dualogic saia cara, eu não gostei nenhum um pouco do jeito que tá, ou pelo menos que façam um trabalho melhor na programação do cambio poxa vida. Bem enfim terei meu Punto Sporting Amerelinho e com motor 1.6 16V Tritec, e se bobear o motor 1.6 mais forte do país !!!!! Vamo que vamo !!!

    ResponderExcluir
  17. Pra mim, a potencia do possivel 1.6 16V Tritec se for para substituir o 1.8 com louvor ficaria seria uns 122cv com alcool e esta de bom tamanho. Mais que isto basta reprogramar o 1.9 16V q ja trabalha com 127cv. Ainda, a potencia deste possivel novo motor nao pode ser alta tambem, pois diminuiria a diferença com relacao ao T-Jet pondendo prejudicar este ultimo.
    Considerando a vinda destes dois novos motores, a Fiat teria um 1.4 16V capaz de competir com os 1.4 concorrentes e o 1.6 da VW enquanto do 1.6 16V brigaria com os 1.8. Por fim, se o MultiAir tambem chegou para futuros testes/adaptacoes, talvez este venha a ser o substituto natural do T-Jet aqui como ja indica na Europa.

    ResponderExcluir
  18. A galera está esquecendo do motor 1.9 do Linea que deverá ser o verdadeiro substituto do 1.8 GM no Punto, Idea, Doblò, Bravo. O Tritec 1.6 ao meu ver seria a top do Plaio, Siena, intermediária do Punto e Idea e de entrada no Bravo.
    O 1.9 ficaria com a top do Punto, Idea e linha Adventure (apesar de ter falado que ele ficou fraco em baixa, por ser 16V, mas pensado o Tritec tbm é 1.6V não ficaria mais fraco ainda?), e intermediaria no Bravo.

    O fato de o Tritec ficar em torno de 29 cv do T-Jet não atrapalharia pela simples proposta do T-Jet ser voltado ao esportivo e o Tritec ser um 1.6 potente, ele para os top do Punto, Linea e Bravo.

    Mais aí surge um pergunta: Não seria motor demais? O Punto teria 4, e a maioria teria 3.

    ResponderExcluir
  19. Gente, estamos esquecendo do motor Sigma que a Ford trará ao Brasil apartir do Focus 1.6 Sigma flex. Lá na Europa esse motor desenvolve 125 cv. Dizem que ele poderá passar dos 130cv a álcool. Será o motor pra bater defrente com os Triec. Ele diferentemente do Tritec terá variação das valvulas. O Tritec "original" não tem. Será que esse demora tbm não tem a ver com o desenvolvimento das multi valvulas do Tritec?

    ResponderExcluir
  20. Vilker,

    pode ser tb por conta do multiair, até mesmo pq já foi flagrado alguns deles desembarcando nos portos.

    ResponderExcluir
  21. Não acredito que a Fiat lance o Multiair aqui (apesar de torcer a favor) pelos próximos 3 anos...(ah como ficaria feliz se o tal motor EVO fosse um Multiair!!!).

    O lance do 1.9 16v do Linea é que é fabricado na Argentina, e acho que poderia ter uma potência maior, em torno de 136cv, e um coletor de admissão variável para melhorar o torque em baixa (como o Duratec do novo Focus). O Tritec é mais moderno que esse 1.9 que é baseado no antigo 1.6 16v dos Palios, de 105cv (se não me engano). A Fiat do Brasil, se "fosse eu", só não desenvolveria um Tritec 1.8 16v se o custo ficasse mais caro que o do Linea e se, principalmente, a planta da Tritec (aposto nessa) não der conta do volume. Apesar de possível chegar nos 130cv ou mais no álcool, isso não será feito por 3 motivos, jogar a curva do torque pra cima tira o torque em baixa (o comando de válvulas não é variável), aumenta o consumo e principalmente a poluição e, comercialmente, fica muito próximo dos 1.9 de 132cv! Lembrando que a Fiat estava pensando em colocar esse motor no Dobló, ou seja, deve ter boa curva de torque em baixa. Pelo histórico da Fiat no Brasil, aposto em no máximo 120cv. O 1.4 16v, que deve ser 1.4 mesmo, e não 1.35 como o Fire "1.4", chuto uns 95cv-100cv.

    Minha dúvida num futuro próximo vai ser entre o Punto, o Bravo ou Focus...boa dúvida!

    ResponderExcluir
  22. Hugo,

    sua opiniao assemelha-se a minha. Acredito q a disposicao dos motores na Fiat ficaria assim:

    1.0 Fire 8V (Mille,falimia Palio e novo Uno)
    1.4 16V Tritec (familia Palio, Uno, Punto, Idea)
    1.6 16V Tritec (familia Palio, Punto, Idea, Doblo)
    1.9 16v (Linea e Bravo)
    1.4 Fire 16V T (T-Jet)-(Punto, Linea e Bravo).

    ResponderExcluir
  23. Como vivemos na República das Bananas, não consigo acreditar que Fiat vai lançar bons motores após tantos anos de lixo.
    Qual seria o motivo para tanta qualidade? Vende muito, ganha muito, etc. Com motores mais caros e modernos, a margem de lucro iria diminuir, a concorrência terá que se modernizar também, o que leva a um ciclo que só beneficia o consumidor. Lembrando que no Brasil o consumidor só é beneficiado se existir uma lei que obrigue.
    Outras considerações:
    - se observarmos os motores de Cerato/Soul e Honda City, acho que dá pra ver que só se consegue tantos cavalos com motores para mercados de 1º mundo.
    - o Línea foi a aposta da Fiat em um segmento que tem tradição com Civic e Corolla, e vem com um motor de ferro ao invés de alumínio, uma adaptação de motores antigos. Por que seria diferente agora?
    Ou seja, aposto que esses Tritec terão duas versões: uma para os países ricos e outra para os emergentes.
    Mas espero muito estar errado, já que sempre tive vontade de ter um Punto com um motor bom.

    ResponderExcluir
  24. Renzo,

    nao tiro sua razao ao criticar politicas de produtos melhores para determinadas areas, mas lembro q os motores Fire daqui sao os mesmos Fire da Europa com a diferença q os nossos sao Flex exceto o T-Jet. Ainda, como aqui o povo prima por desempenho mesmo em carro q nao foi concebido para isto ,os Fire 1.0 e 1.4 ficam devendo com relacao aos concorrentes. O 1.8 eh um peixe fora dagua, pois ou a Fiat coloca o 1.9 16V Flex ou lança o 1.6 16V para substitui-lo. Por fim, parece q o conceito MultiAir substituira aos poucos os T-Jet na Europa,pelo menos de inicio. Aqui, acredito, por conta dos motores flex, o MultiAir teria q ter mais tempo para se tornar flex.
    Ja q falamos de motores, sera q a Fiat ja nao estaria trabalhando na flexibilizacado do T-Jet?

    ResponderExcluir
  25. Renza parece realmente que vc não acompanha o mundo dos carros. E ainda por cima é preconceituoso com a Fiat.

    O motivo para tanta qualidade é que esse motor era do Mini Cooper que pertence a BMW, quer qualidade maior que essa?

    Quando vc diz que só se consegue alta cavalaria em mercado de 1° mundo, vc está enganado. Na Europa em carros populares o que mais importa não é a cavalaria e sim o torque e poluir menos .

    Dê uma olhada na gama de motores do novo Polo europeu, tem motores 1.2 de 60 cv, 1.6 de 75 cv entre outros. Aqui no Brasil os 1.0 rodam na mesma faixa dos 75 cv. O 1.6 da VW do Brasil tem 104 cv; o 1.4 da GM rende até 105 cv (o mais poluidor).

    Não é simplismente cavaria que diz se o motor é bom ou não. Um torque alto atingido em baixas rotações é mais eficiente.

    Quando vc sita que o motor do Linea é de ferro fundido e classifica os japoneses como algo inatingível, dê uma pesquisada e vc verá que o atual motor do Corolla é de ferro fundido (Aqui em casa temos um).

    "Por que seria diferente agora?" Pois acredito que Fiat não quer cometer os mesmos erros do passado, aonde ela laçou motores complexos e modernos, para o proprietário levar na oficina alí da esquina. E claro, a vontade de permanecer líder do mercado brasileiro.

    Esses motores Tritec a princípio só existirão na America do sul, com a possibilidade de equipar o 500 americano. Então não existirá Triec na Europa. Eles são fabricados em Santa Catarina.

    ResponderExcluir
  26. Desculpe Renzo, foi erro de digitação meu te chamar de Renza.

    ResponderExcluir
  27. Vilker.. só corrigindo...

    Os Tritec são feitos no Paraná, em Campo Largo.

    Um abraço!

    Ivan

    ResponderExcluir
  28. Obrigado Ivan.

    Agora vamos ver se o Barrichello faz o que nunca fez na vida, correr de verdade.

    Um abraços.

    ResponderExcluir
  29. Vilker,
    Sempre leio seus comentários, mas pela primeira vez percebi que vc julgou sem ler direito o que escrevi antes...
    Eu não tenho problema nenhum em relação à Fiat, já que tenho um Uno 2009/2010, e como escrevi antes, se o motor do Punto mudar pra melhor, vou tentar comprar um...
    Também não disse que os japoneses são "como algo inatingível", só acredito que se vc quer desbancar um produto que está consolidadeo no mercado, a empresa tem que lançar algo no mínimo da mesma qualidade.
    Eu só acho que como aqui no Brasil existe uma situação muito peculiar de se vender carroças no lugar de carros de verdade, não consigo ver uma mudança disso a curto prazo, já que não existe uma legislação que obrigue as montadoras a mudadrem de atitude.
    Eu não disse que "só se consegue alta cavalaria em mercado de 1° mundo", e sim que os motores que conseguem mais cavalos são mais modernos e equipam carros mais caros.
    Vc deu o exemplo do Polo Europeu, e concordo plenamente. Acho que se fosse vendido aqui no Brasil com o motor 1.2, seria taxado como mico.
    Mas, como já escrevi antes, espero estar COMPLETAMENTE errado e que a Fiat revolucione o nosso mercado com seus lançamento de 2010, 11 e 12...

    ResponderExcluir
  30. Ótimas opiniões aqui, dá gosto de postar e discutir, sem fanatismos ou agressões de outros sites!

    A compra da Tritec foi uma excelente jogada da Fiat, me parece que o maquinário é moderno e facilitou muito a fabicação de bons motores.

    Será que esse 16v vai ser SOHC, como os originais?

    ResponderExcluir
  31. "Como vivemos na República das Bananas, não consigo acreditar que Fiat vai lançar bons motores após tantos anos de lixo".

    Posso tirar duas conclusões:
    1° Pra mim isso suol como preconceito, que vc julgando pelo passado da Fiat que ela seja incapaz de produzir bons motores. Se essa não foi a sua intenção me desculpe.

    E 2° é que finalmente a Fiat vai lançar um motor bom, que vc chega a não acreditar.

    Pelo visto vc quis dizer a seguda. Estou certyo?

    O que aconteceu com as japonesas aqui, foi que elas sendo espertas só lançaram carros top(para o nosso mercado), bons (não existe aqui no Brasil japones por menos de 54.000), que naõ dão problemas. Aí mistificou-se os japoneses.

    E te afirmo o Linea deve muito pouco em relação ao Corolla, só mesmo motor que ainda é mais fraco e o câmbio automatizado que é muito gostoso de se lidar pecando nos trancos em determinadas situações. É um bom carro pra quem quer sair dos japoneses, pra mim é a terceira força hoje.

    Tento ler diariamente sobre o mundo dos autos, não sei tudo, apenas tento ajudar no que sei. Como já disse aqui, adoro "debater" esses assuntos sempre tentando ajudar e aprender com os companheiros.

    Me desculpe se te interpretei mal, mas foi o que achei na hora.

    Alias tbm torço pra que esses Motores sejam bons de verdade, pois será minha opção de poder comrar mais pra frente, quem sabe?

    Abraços

    Há, eu sabia que o Barrichello é bosta, em 17 anos só ganhou 11 corridas. Vai descançar Rubinho!

    ResponderExcluir
  32. Vilker,
    Com certeza a 2ª conclusão é a correta. É bom d+ pra ser verdade! Eu deveria ter colocado com outras palavras...
    Me referi ao Brasil como República das Bananas justamente para mostrar que nenhuma montadora respeita o consumidor brasileiro (mas que também compra qualquer coisa aos montes).
    Não tenho preconceito contra nenhuma montadora, tenho é raiva mesmo! Penso o seguinte: cobrem o preço que quiserem, mas que tenha qualidade e segurança.
    Tô cansado de carros ultrapassados, legislação boazinha, consumidores que aceitam tudo.
    Acho que as pessoas só se preocupam com as coisas quando uma fatalidade acontece. Talvez seja por isso que o Astra tem ar condicionado digital mas não tem ABS, o Uno e o Gol G4 ainda sejam fabricados, o Agile tenha plataforma do chevete, etc...
    O pior de tudo é que li no jornal que o governo quer implantar a inspeção veicular pra todos os carros, com a justificativa de que a falta de manutenção causa muitas mortes no trânsito, ou seja, mais taxa pra pagar, sem que haja retorno...

    ResponderExcluir
  33. Hugo,
    o que é SOHC, deculpe a minha ignorancia. Pelo visto nao sao tao moderno assim nao. O Tritec não tem variaçao das valvulas e é de ferro fundido. Será que a Fiat não esteja preparando as valvulas variaveis, obrigatórias em motores 1.6V?

    ResponderExcluir
  34. Anônimo, vamos esclarecer:

    1) SOHC: significa comando de válvulas único no cabeçote. O fato de só um comando lidar com as válvulas de admissão e escapamento é teoricamente pior...o 1.9 16v do Linea é DOHC.

    2) O fato do bloco ser de ferro fundido (será bloco, cabeçote ou os 2?) não significa muita coisa na verdade, não é algo que altere muita coisa no projeto. O alumínio é mais leve e "transmite calor mais rápido". Tenho até uma dúvida se esses motores "em alumínio" da Honda ou Toyota do Brasil permitem retífica, ou se tem maior vida-útil em relação aos comuns de ferro-fundido...

    3) O comando de válvulas variável a Fiat já tem, chama-se Multiair, o mais avançado que existe, melhor que o iVTEC em teoria, e deve sofrer muitas evoluções (como variação do comando de escapamento). Mas a viabilidade econômica, manutenção a longo prazo e calibração para motores flex devem demorar a ser lançados no Brasil por enquanto.

    4) Muito mais fácil é fazer o coletor de admissão variável, que compensa bem o problema das 16v (baixa inércia dos gases pela baixa velocidade que entram no cilindro quando em baixa rotação pela maior área de válvulas...).

    5) Os tritecs parecem modernos sim, não tanto quanto os Tjet, iVTECs, Sigma, mas bastante evoluídos em relação aos GM f1, e Fire 1.4, aproximando-se dos Duratec.

    É aquela coisa, o Linea é mais pesado e motor teoricamente inferior ao Corolla e Civic, mas tem melhores retomadas que esses pelo maior torque em faixa útil, de 18,6 a 4500rpms...Não ganha em aceleração partindo do zero pelo maior peso e nem em velocidade final pela pior aerodinâmica, mas os testes mostram que além de andar bem (quando acima de 2000rpm), só perde em economia no segmento para o Corolla, muito mais leve!

    ResponderExcluir
  35. Como disse o Vilker o motor do Corolla é de ferro fundido o do Civic que é de aluminio. esse motor do Corolla é o mesmo da geração anterior com 136 cavalos gas./alc.

    ResponderExcluir
  36. Renzo, vale lembrar que apesar do motor ser um 1.2 para o Polo ele possui um compressor que ajuda no torque extra do motor obtendo uma boa economia.

    Hugo,
    Em relação aos motores Multi Air, adiciono que pode ser o primeiro motor a conseguir trabalhar com taxa de compressão variável. Se essa especulação for verdadeira será o motor mais bem desenvolvido do mundo até o momento.

    Esperamos que ao menos as criticas sejam sanadas sobre tais motores e potencia (nao só em cavalaria).

    Abraços,
    Edson

    ResponderExcluir